Estúdios SOAK mergulham na AMIRA

Estúdios SOAK é uma produtora localizada em Toronto que cria conteúdo desde séries para internet à comerciais, filmes, entre outros. Recentemente a empresa adquiriu a câmera de estilo documentário ARRI AMIRA para oferecer aos seus clientes um visual mais cinematográfico. Matt Marek e Jamie Tiernay imediatamente colocaram a câmera em teste de latitude, qualidade de imagem e workflow. Assista ao vídeo abaixo do teste deles e leia as primeiras impressões sobre a filmagem, desde a produção à pós-produção.

Escolher uma câmera é uma tarefa quase impossível, podemos dizer que batemos a cabeça durante meses antes de puxarmos o gatilho. Olhamos todas as marcas e modelos disponíveis e mesmo quando fizemos o depósito para a compra da AMIRA, tínhamos dúvidas. Mas depois de usarmos duas vezes, nossas mentes clarearam: esta é a melhor câmera que já usamos.

No SOAK e Ron Piano Productions precisávamos de uma câmera na casa que nos desse imagens com qualidade de cinema, mas que também nos permitisse ser usada em qualquer tipo de produção, “corre e grava”. Para nós, a AMIRA é a mistura perfeita. Não achávamos que seria a câmera principal para vídeo clips, curta-metragens e mesmo filmes de baixo orçamento. Nosso primeiro teste com a AMIRA tinha somente eu, Matt Marek e a nossa linda atriz Sara Soligo. Não havia tripé, equipe ou luz, apenas a câmera, uma lente Fujinon Cabrio e nossa modelo. Dentro de duas horas filmamos o teste de câmera, que abriu nossa mente para a qualidade de imagem e foi incrivelmente fácil de filmar e pudemos editar em praticamente qualquer sistema.

Simplesmente não há nada no mercado que chegue perto. Sabemos que isso soa como uma propaganda, mas não temos qualquer relação com a AMIRA (ARRI), além de amarmos esta câmera. Desde o projeto do corpo à qualidade de imagem, esta câmera elevou nossas filmagens para outro patamar. Nós literalmente podemos levar uma câmera com qualidade de cinema numa única bolsa, tirá-la e estar filmando em segundos. É muito fácil de filmar com ela, ND’s internos e chaves de mudança rápida de controle, que nos faz repensar no que é possível fazer em filmes ou em comerciais. Com um simples botão, podemos mudar de 24fps para 200fps e as mudanças dos ND’s da mesma maneira. Tudo, desde os controles rápidos até a simplicidade do menu, são próximos da perfeição.

Nós não apenas editamos em um MacBook Pro de 15”, mas usamos o FCPX e o Adobe Premiere apenas para ver como eles trabalhariam juntos. Sem exagero, câmera lenta reproduz movimentos lentos, cenas estão prontas para cortar, sem travar; aplicar LUTs e correção de cor foi fácil e é algo milagroso quando você vê o que pode ser feito com a imagem.

Para a maior parte, a AMIRA põe toda a tecnologia para fora do caminho.

Trabalhamos tanto em entretenimento como em comerciais, portanto, ter uma câmera na casa nos permite trabalhar de cima para baixo eliminando problemas da produção. Recentemente finalizamos um filme para a Universidade Carleton em Ottawa (capital do Canada), a AMIRA nos permitiu rodar com uma equipe reduzida enquanto parecia um filme de uma grande equipe. Por outro lado, estaremos filmando um longa-metragem muito em breve e não temos dúvidas que ela lidará com facilidade.

Portanto, enquanto a ARRI chama a câmera de estilo documentário, estamos vendo fazer muito mais e não posso esperar em usá-la em cada oportunidade que aparecer.

Jamie Tiernay, fundador, SOAK
Matt Marek, diretor de fotografia, Ron Piano Productions

Links relacionados >>